Palestra Sérgio Camargo

Olá, Concurseiros!

Nosso colunista Sérgio Camargo irá realizar uma palestra na próxima quinta-feira, no Rio de Janeiro.

Confiram os detalhes:

Conferência--Sergio-Camargo

seg 07 out/2013

Teste de Esforço

0000137Quando se fala em teste de esforço (TE), concurseiro da área de segurança pública ou militar logo associa ao teste ergométrico, pois as bancas exigem que todos passem por esta avaliação para aferir como anda o funcionamento do coração, da pressão arterial e diagnosticar doenças cardiovasculares.

Entretanto, o teste de esforço ao qual me refiro é o de campo, mais precisamente o teste de Cooper, popularmente mencionado como teste de 12 minutos, cujo objetivo é aferir o condicionamento físico do praticante por meio de uma corrida e/ou caminhada no maior percurso que conseguir em um período de tempo de 12 minutos. Desta forma, com o resultado em mãos, o profissional de educação física interpretará os dados e com auxilio de uma tabela estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), conforme exposta abaixo, o candidato é classificando como: “Ótimo”, “Bom”, “Regular”, “Ruim” e “Péssimo”, com base na distância percorrida, idade e sexo.

Vale ressaltar que este teste trabalha no submáximo do avaliado, pois dependerá muito da disposição/motivação do avaliado e o resultado é uma estimativa, levando em consideração que trabalhamos com grupos muito heterogêneos (praticante de atividade física, sedentário, fumante, não fumante, homens, mulheres, jovens, idosos, entre outros).

Teste de Cooper

Tabela_01_Elon

Teste de Cooper (Atletas com Experiência)

Tabela_02_Elon

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Teste_de_Cooper

O teste de esforço lembra a você algum teste físico cobrado em concursos? Isso mesmo. Todos os testes de corrida de resistência são um teste de Cooper.

Além desta avaliação, aproveite para ler o seu edital e veja outros testes que são cobrados, como: barra (flexão de cotovelo na barra fixa), flexão (flexão de cotovelo sobre o solo), abdominal etc. Identificando-os, faça um simulado para aferir seus índices e registre todos em uma planilha para uma futura comparação de ganho de performance.

Outro teste que indico é o de 400 metros: corra esta distância o mais rápido possível e registre o tempo.

Vale ressaltar que é de extrema importância o acompanhamento de um professor de educação física especializado em preparação física para concursos, para intervir caso sinta falta de ar, dores no peito, fadiga muscular, tonturas, náuseas, sensação de desmaio, etc.

Com todos estes dados em mãos, teremos parâmetros suficientes para publicar uma variedade de treinamento, na qual você conseguirá acompanhar facilmente a rotina de treinos que publicarei futuramente aqui.

Por último, ter uma vestimenta e equipamento adequado potencializará o aumento de performance e lhe proporcionará mais segurança nos treinos, diminuindo assim a probabilidade de lesões. Usar um tênis com um bom sistema de amortecimento, roupas (short e camisa) com tecidos leves e de cor clara, relógio com cronômetro ou frequencímetro (aferir batimentos cardíacos), protetor solar e boné (quando o treinamento for diurno) são recomendados.

Agora, programe-se, convide um amigo ou ente querido para motivá-lo a executar os testes e siga-nos por aqui, pois em breve teremos a primeira planilha de treinamento rumo à sua aprovação no teste de aptidão física – TAF.

Forte abraço, bons estudos e bons treinos.

Sem-Título-2

Elon Junior é subtenente do CBMERJ, Coach Físico para Concursos, palestrante e autor do livro “Preparação Física para Concursos” – www.efisica.com.br

seg 07 out/2013

Erros Públicos 02

Olá, Concurseiros!

E então?! Descobriu se o seu Português está em dia? Confira aqui as respostas para o último desafio e aproveite para continuar testando seus conhecimentos.

Correção da Placa 1 – “Mantenha a direita”

Correção da Placa 2 – “Vire à direita”

 

Erros Públicos 02:

Erros_Publicos_02_edit

Confira a resposta na próxima semana!

qui 03 out/2013

Atualidades – Possível ataque americano à Síria

O conflito na Síria – que na verdade é um desdobramento da Primavera Árabe – tem contornos que vão muito além de uma disputa interna entre o grupo do Presidente Bashar Al-Assad (Alauita) e os “revoltosos”, em sua grande maioria sunita.

A questão passa, antes de mais nada, sobre o equilíbrio de forças no Oriente Médio – que todos sabemos é uma área deveras conflituosa, dentre outros fatores por lá terem surgido as três grandes religiões monoteístas, ter mais de 65% do petróleo mundial (que continua a ser a matriz energética mais plástica do mundo) e pela diversidade étnica, tribal, religiosa, etc.

Este equilíbrio coloca alguns atores como protagonistas:

EUA – aliado histórico de Israel e inimigo dos regimes do Irã e da Síria. A queda de Bashar Al – Assad permitiria aos EUA amplificar a influência regional e isolar o regime dos Aiatolás no Irã.

Israel – após celebrar os famosos acordos de Camp David na década de 1970 – devolução da Península do Sinai ao Egito e este o reconhecimento do direito à existência de Israel – vê-se com três grandes inimigos: o Irã, que enriquece urânio com finalidades bélicas; a Síria, sua inimiga de décadas desde a guerra dos “seis dias” em 1967 e, ainda, a tomada do poder pela Irmandade Muçulmana – atualmente deposta – no Egito, que se opõe ao país semita.

Síria – representa um contraponto ao poder dos EUA e Israel no Oriente Médio, mantendo um contrato de compra de armas da Rússia no valor de mais de seis bilhões de dólares anuais e ainda este mantém um porto militar em território sírio.

Rússia e China – não querem ver ampliadas as influências de Israel e EUA na região; sendo assim, têm vetado todas as possíveis resoluções da ONU condenando o regime de Assad.

Diante do impasse no CS da ONU e da utilização de armas químicas pelo regime sírio, parece cada vez mais claro que os EUA aguardavam apenas mais um motivo para atacar o ditador. A questão, contudo, reveste-se de legitimidade: o Reino Unido não obteve autorização parlamentar para participar da coalizão de ataque; a França apoia, mas sua população é contra; 12 dos membros do G-20 querem uma resposta dura ao regime de Assad, mas os EUA ainda não têm consenso interno para fazê-lo.

A solução diplomática parece distante ou impossível. A derrubada do regime pelos revoltosos apresenta-se como difícil sem apoio ocidental; sendo assim, Obama tem a dura tarefa de organizar a reação internacional e tentar não se envolver em mais um conflito de longo prazo.

avatar-alex-mendesAlex Mendes

Bacharel em Filosofia pela UFRJ e em Geografia; Pós Graduado em Geopolítica; Mestrando em Economia. Professor há 15 anos ministrando aulas em vários estados, tais como: Rio de Janeiro, Minas Gerais, Alagoas, São Paulo.

É colaborador da Folha Dirigida, do Jornal dos Concursos, do site G1. Ministra aulas de Atualidades, Economia e Finanças Públicas, em cursos preparatórios para concursos em locais como Academia do Concurso Público, Maxx Concursos, Ícone Concursos, Pio Concursos, PLA Concursos, LFG, Cejuris.

qui 12 set/2013

Quer Vencer? Vem Comigo!

boltOlá, caro leitor e seguidores da Lia Salgado.

A partir de hoje estarei aqui neste canal falando contigo sobre um tema muito importante, que muitos concurseiros negligenciam e, por conta desta atitude equivocada, muitos perdem suas vagas e m bons concursos, aumentando assim a estatística de reprovação no TAF.

O Teste de Aptidão Física, cobrado em muitos concursos como: Exército, Marinha, Aeronáutica, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Administração Penitenciária, Guarda Municipal, Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Companhia de limpeza Urbana-RJ, Tribunal Regional do Trabalho, Banco do Brasil, entre outros, tem sido a “pedra no tênis” dos aprovados na primeira fase, a parte teórica.

Caso seu concurso não esteja entre os mencionados acima, estes artigos também lhe serão úteis, pois estudos comprovam que a prática de atividade física proporciona diversos benefícios fisiológicos no organismo, principalmente nas funções cognitivas, que por sinal é o que mais o concurseiro trabalha, certo?

Alguns benefícios como: aumento de fluxo sanguíneo no cérebro, diminuição da tensão emocional, liberação de endorfina, o que lhe proporcionará melhora na memorização, aumento de resistência física e mental, melhora no poder de concentração, entre outros.

Agora, para você seguir minhas orientações sobre a prática de atividade física com objetivo no teste físico  ou somente para qualidade de vida é imprescindível que você esteja com a saúde 100%. Por isso, aconselho você a procurar um médico cardiologista, que lhe passará uma bateria de exames laboratoriais e teste de esforço para sua segurança.

Feitas as apresentações, calce seu tênis, alongue-se e comece o aquecimento, pois no próximo artigo falarei sobre teste de esforço e equipamentos necessários para uma prática segura e eficaz.

Forte abraço!

Sem Título-2Elon Junior é Escritor, Palestrante, Coach Físico para Concursos, Diretor da EFISICA, Subtenente do Corpo de Bombeiros, Árbitro de Atletismo, Professor em cursos preparatórios, ex-membro de bancas examinadoras (PF, PCERJ, CBMERJ, SEAP-RJ e GM de Nilópolis) em TESTE FÍSICO.

Em 2011 publicou o livro Preparação Física para Concursos, pela editora Campus Elsevier e atualmente computa mais de 1000 aprovações no Teste Físico.

qui 05 set/2013

Erros Públicos 01

A língua portuguesa é cruel, verdade, cheia de regras e, mais ainda, de exceções. Eu mesma, que faço da escrita parte do meu “ganha-pão”, de vez em quando sou obrigada a “dar uma voltinha na frase” para driblar alguma dúvida quanto à forma correta de escrever. Mas faz tempo que eu me sinto profundamente incomodada com erros que vejo por aí, em placas oficiais, propagandas de campanhas caríssimas de marketing, sem falar nos erros que ouvimos no dia a dia. Há expressões tão comumente usadas da forma errada que quando usamos a forma correta corremos o risco de receber um olhar enviesado. É o caso de “duzentos gramas” ou “entre mim e você”. Torceu o nariz?

Por causa disso, para divertir e treinar o português, inauguramos hoje a coluna “erros públicos”. Não vamos usar fotos, para preservar a fonte (por questões éticas). Vamos criar representações gráficas do que encontrarmos por aí, misturando textos corretos a outros com erros. Na semana seguinte apontaremos o que estava ou não errado para você conferir.

Placa_01_Final

Placa_02_Final

qua 04 set/2013

Quadro de horários – “mágica” na preparação

Quadro de horarioHá algum tempo, quase ninguém falava em planejamento de estudos ou quadro de horários. Mas, na minha trajetória de concurseira, foi uma das coisas que provocou um salto de qualidade na preparação. Até então, eu estudava em todos os horários que conseguia, de uma forma meio aleatória e sempre com muita culpa. Quando estava estudando, me culpava porque não estava cuidando dos filhos ou realizando outras tarefas; quando estava com os filhos ou trabalhando, ficava agoniada porque não estava estudando. Resumindo, culpa e estresse o tempo todo.

Um belo dia, decidi tentar organizar as coisas da minha vida e ver o que caberia onde. Fiz um quadro de horários com os compromissos e tentei achar tempo ali para todas as tarefas, inclusive estudar. Isso já me transmitiu segurança, porque vi que, organizando, ficava apertado, mas cabia tudo.

Daí, empolgada, eu resolvi definir o que eu iria estudar no mês que estava iniciando. Porque eu vivia com a sensação de que sabia muito bem algumas matérias e havia outras em que eu sequer tinha ido até o final do conteúdo, mesmo depois de ano e meio de preparação (direito constitucional, por exemplo). Assim, preparei uma lista das disciplinas que precisava estudar e fiz a distribuição pelos períodos de estudo que eu havia criado no quadro semanal. Percebi que não cabia tudo em uma semana, porque eram muitas, e fiz então uma distribuição quinzenal. Para as matérias mais importantes e aquelas em que eu estava mais atrasada (porque sempre “fugia” delas), eu separei mais tempo de estudo, reservando períodos nas duas semanas da quinzena para isso.

O resultado foi tão bacana que a partir daí nunca mais deixei de fazer meus quadros de estudo! Ao cada fim de mês eu examinava o que tinha funcionado e o que não tinha dado certo, considerava a evolução em cada disciplina, e preparava o quadro do mês seguinte, alterando horários e distribuição, conforme julgasse necessário.

Agora, vamos ver detalhadamente como fazer um quadro de estudo. Dá algum trabalho. Mesmo hoje, com a experiência que já tenho, quando vou preparar uma sugestão de quadro para minhas colunas no G1, gasto um tempo. É um quebra-cabeças e a gente precisa de alguma paciência. Muitas vezes, depois de pronto observamos que a distribuição pode ser melhorada e é preciso apagar alguma coisa e mexer na ordem das matérias (por isso, se não estiver fazendo no computador, use lápis).

Vamos?

Passo 1: preparar o calendário do mês

Isto pode ser feito numa folha de papel ou no computador. Depois de pronto, deixe sempre junto ao material de estudo.

Passo 2: escrever os compromissos fixos (trabalho, aulas, tarefas familiares e outros)

O detalhamento de horários pode ser mais ou menos preciso: você pode colocar somente os turnos (manhã, tarde e noite) ou preferir ser mais específico, informando a hora exata de cada compromisso/tarefa)

Passo 3: assinalar hora-limite para dormir e acordar

O sono é essencial para a retenção de informações. Enquanto dormimos, o cérebro grava na memória o que foi estudado durante o dia e, para isso, precisa de 6 a 8 horas.

Passo 4: incluir atividade física

A atividade física regular produz neurotransmissores (serotonina e endorfina) e reduz o estresse provocado pelo excesso de adrenalina e cortisol, que afetam de maneira negativa o funcionamento do cérebro. Então, para concurseiro, é tarefa essencial e precisa ser incluída na programação.

Passo 5: marcar períodos de estudo e somar número de horas a serem utilizados

Basta observar o tempo que restou livre a cada dia e assinalar aí seus períodos de estudo. Você pode se surpreender ao perceber que tem mais tempo do que imaginava. Também pode ocorrer o inverso e talvez seja preciso fazer alguns ajustes na rotina, em algumas opções de vida, a fim de que exista tempo real para estudar. Porque, sem isso, não há aprovação.

Passo 6: distribuir matérias

É importante observar alguns detalhes ao distribuir as disciplinas (liste todas que precisa estudar, lembrando de começar com o núcleo básico e só incluir específicas depois):

. escolha os melhores horários para as “piores” matérias e os piores horários para as “melhores matérias “ – cada pessoa tem um ritmo durante o dia e rende mais em determinados horários/turnos;

. sempre que possível, alterne matérias de linguística (português, direitos e outras) com matérias de exatas (matemática, estatística e outras); assim, você utiliza áreas diferentes do cérebro e produz mais com menos esforço;

. reserve mais tempo para matérias com conteúdos mais extensos ou em que você esteja mais atrasado ou com mais dificuldade – como se fossem os jogadores de um time, os jogadores mais fracos precisam treinar mais;

. distribua todas as disciplinas na semana ou quinzena, para evitar que o conhecimento seja esquecido (a analogia da preparação física também se aplica aqui: o trabalho com cada grupamento muscular precisa ser repetido periodicamente para que não seja perdido).

Esta etapa é a que requer mais tempo e paciência. Muitas vezes, são tantas disciplinas que fica difícil encaixá-las nos espaços que temos e pode ser preciso reduzir o tempo de alguma para poder conjugar com outra, no mesmo período. Mas não se preocupe: com a prática, a cada mês fica mais simples resolver essa equação e o resultado certamente compensará o trabalho. Afinal, estamos falando da sua aprovação!

magica

____________________________________________________________________________

Links

● Facebook

● Twitter: @liasalgado_

● Coluna da semana no G1 (em vídeo) : ”Saiba como usar provas e simulados para se preparar para concursos”

● Nova edição do meu livro – Como Vencer a Maratona dos Concursos Públicos – à venda na Saraiva

qua 28 ago/2013

Para um maratonista, preparação de atleta

Beaty Marathon

 

Desde que fui aprovada como Fiscal de Rendas do município do Rio de Janeiro e passei a escrever sobre concursos públicos, acho que a melhor analogia para a situação do concurseiro é a maratona; daí o nome do meu livro.

Claro, porque estamos falando de um projeto que requer preparação, treinamento contínuo, resistência e continuidade para alcançar o êxito. Não é necessário, nem indicado, que se imprima velocidade exagerada: ao contrário, isto poderia tirar o atleta da pista com uma lesão ou, o mais certo, por exaustão. Afinal, não são 100 metros rasos, mas 42 quilômetros. No caso do concurso, são meses – ou até anos – de preparação e isso precisa ser feito com equilíbrio.

Então, assim como alguém sedentário que decide tornar-se um maratonista, inicie o seu condicionamento aos poucos, intensificando o treino (o tempo de estudo) com o passar do tempo.

Tenha muito cuidado com a saúde, porque atleta doente não corre maratona. O sono, a alimentação, a atividade física regular e, até, o lazer são importantes para que se garantam bons resultados.

No caso do concurseiro, o sono interfere na memorização dos conteúdos. O cérebro precisa de 6 a 8 horas de sono para “gravar na HD” tudo o que estudamos durante o dia. Isso significa que é uma bobagem “virar a noite” estudando. Estaremos cansados no dia seguinte e o resultado do esforço será nulo. Mais uma vez, é preciso ter equilíbrio nas atitudes.

A atividade física melhora a oxigenação do cérebro, além de baixar os níveis de stress. É preciso incluir ao menos uma caminhada (40 minutos, 3 vezes por semana) na sua preparação. Se você praticava algum esporte, retome, se frequenta academia, mantenha. Não é hora de exageros, recordes ou de obter o “corpo dos sonhos” (deixe isso para depois que for aprovado no concurso), mas é fundamental cuidar da saúde e bem-estar do corpo, para que ele não venha a sabotar você na hora em que mais precisar dele. Seu corpo agradecerá devolvendo concentração, disposição e reduzindo o stress (que, além de muito desagradável, consome preciosa energia que poderia ser usada no estudo). Experimente e observe a mudança no rendimento.

Já o tempo de lazer é necessário para que possamos manter a qualidade do estudo durante toda a semana, em todas as semanas, até a prova. Então, reserve um tempo para ser feliz. Isso é combustível para a empreitada da semana. Acredite! E é o que vai garantir a continuidade da sua maratona até a conquista da vaga, independentemente do tempo necessário para isto acontecer.

Por outro lado, não se exija resultados imediatos. Como em qualquer preparação física, é a repetição e a continuidade que produzirão resultados. Para isso, é necessário algum tempo.

Importante, também, criar uma rotina de treinamento. Planeje os dias, o horário e as tarefas para o mês. Ou seja, defina dias e horários de estudo, e as matérias a serem examinadas a cada dia. Assim, fica mais fácil cumprir a estratégia traçada e seguir aprimorando o conhecimento continua e ininterruptamente.

Além disso, gostaria de lembrar que, quando você se senta para estudar, é um atleta entrando em campo. Faça isso com disposição e alegria para ser bem sucedido. Se esse é o caminho escolhido para conquistar o que você está buscando: uma vida nova, com muito mais qualidade (e dinheiro, claro!), adote uma postura compatível com a importância do projeto.

O conhecimento precisa de sucessivas repetições para ser assimilado. Como um atleta, você repetirá o treino inúmeras vezes (é… tantas assim), ou seja, você irá do início ao fim da matéria várias vezes. A sedimentação acontecerá de forma progressiva, e a memorização, naturalmente. Mas é muito importante compreender os conteúdos; caso contrário, não haverá como gravá-los.

É importante, ainda, tornar o estudo algo dinâmico, já que a monotonia leva ao tédio, ao sono e ao desinteresse. Ler em voz alta, fazer exercícios com consulta à teoria e sintetizar a matéria em quadros e esquemas (fichas-resumo) são maneiras de tornar o estudo mais atraente.

Durante toda a trajetória, seja um bom treinador para você mesmo. Reconheça as dificuldades, sem se “agarrar” a elas. Veja a melhor estratégia para superá-las. Seja compreensivo com esse maratonista nas horas em que ele estiver sofrido, e encoraje-o nos momentos de cansaço.

Como você pode observar, é o equilíbrio que garantirá a continuidade do seu trabalho, e é essa continuidade que o levará à aprovação. O estudo deve passar a fazer parte da sua vida como atividade prioritária, é verdade, mas que não o impeça de viver. Corpo, mente, emocional e, até, espiritual, devem estar em harmonia, como seus aliados. Isso garantirá a sua vitória.

____________________________________________________________________________

Links

● Facebook

● Twitter: @liasalgado_

● Coluna da semana no G1 (em vídeo) : “Veja como utilizar técnicas de estudo durante a preparação para concursos”

● Nova edição do meu livro – Como Vencer a Maratona dos Concursos Públicos – à venda na Saraiva

qua 14 ago/2013

‘Trimarizações’ na Petrobrás (PB)

PetrobrasParece que estamos dando passos largos na consolidação de um real Estado Democrático de Direito.

Tudo por que é público e notório que o Sistema Petrobras conta com mais da metade de todo seu recurso humano formado por mão de obra de alguma forma terceirizada, pessoas que ingressaram para os quadros da PB não por concurso público, como determina a Constituição Federal de 1988, mas através do odioso ‘favor rei’: conhecer alguém.Há décadas a maior estatal brasileira tem-se destacado por sua excelência na produção de energia no país, e no mundo, mas também em terceirizar suas funções públicas, deixando à margem centenas de cidadãos brasileiros, que na busca do ‘sonho’ da empregabilidade, fazem concurso público para trabalhar nesta grande estatal, mas têm seu desejo frustrado.

Esta situação vem chamando tanta atenção da sociedade brasileira, que fez surgir um novo instituto do direito administrativo – as Trimarizações -, na medida em que a estatal primariza sua força de trabalho através das terceirizações. Diversos funcionários NA Petrobras trabalham há tantos anos na estatal, com vínculo de subordinação direta com algum dirigente da companhia, sem muitas vezes sequer saber onde está estabelecidoseu real contratante, sem jamais conhecer quem na terceirizada seria seu ‘chefe’, pois toda atividade exercida pelo funcionário se dá por orientação direta de servidor trabalhista da PB em cargo de chefia, de tal forma que esse Cidadão é quase como se fosse DO Sistema Petrobrás; só que não é.

Finalmente os Tribunais país afora vêm determinando imediato afastamento de pessoas terceirizadas, e a contratação de concursados aprovados em certames públicos, que após aguardarem tempo mais que razoável para serem chamados, não são; tudo porque alguém, que não fez concurso, está ocupando sua vaga. Finalmente privilegia-se a determinação constitucional (artigo 37, II) para primarizar os quadros da empresa, e NÃO terceirizar como abre brecha nosso sistema jurídico (37, IX), para situações que deveriam ser por tempo determinado para atender o excepcional interesse público, mas que na prática é responsável por manter, de uma forma ou de outra, terceirizados na estatal por 5, 10, 15 anos, ou mais, fazendo surgir pergunta que não quer calar: “Qual seria o parâmetro de temporariedade nestes casos? Matusalém?” Porque não há como considerar temporário o trabalhador que permanece na empresa, trocando apenas o vínculo com a terceirizada, por período tão longo, traduzindo de fato necessidade permanente da companhia.

Os aprovados do último concurso – cuja validade encerrou-se em 7 de junho de 2013 – poderão buscarsua contratação por meio da via judicial até outubro de 2013, falecendo após este período definitivamente qualquer possibilidade de ‘socorro’ via judiciário brasileiro, para sua contratação no Sistema Petrobrás. A democratização efetiva em nosso país vem sendo, como não poderia deixar de ser, um processo lento e gradativo, sendo a empregabilidade pública, como viés da dignidade da pessoa humana, importante estágio a ser consolidado para assegurar a democracia brasileira.

Sergio MendesSérgio Camargo é Advogado especialista em Concurso Público (sergiocamargo@sergiocamargo.com)

____________________________________________________________________________

 Nota do blog:

● O Ministério Público do Trabalho – 5ª Região – determinou a prorrogação do prazo da validade do concurso da Petrobras até junho de 2016. Entretanto, a Petrobras conseguiuque a liminar fosse derrubada. Veja detalhes >>aqui.

● Veja também posicionamento da Petrobras a respeito >>aqui. 

 

ter 18 jun/2013

Você está caminhando?

Os meses (ou anos) passam e você ainda não foi aprovado… Será que está tudo errado? Ou é assim mesmo e a vaga a cada dia está mais perto?

Veja abaixo alguns indicadores de que você está, sim, avançando na trajetória, mesmo que não pareça. Quando você olha para trás, observa que:

• consegue cumprir melhor a rotina de estudo planejada;

• consegue estudar durante mais tempo e/ou com mais qualidade e rendimento;

• detém mais conhecimento em relação às matérias (mesmo que também pareça que a cada mês falta mais coisa a saber);

• já consegue resolver questões que antes não tinha ideia de como fazer;

• sua posição nos concursos vem seguindo uma gradação: reprovado, passa a fazer os mínimos exigidos por disciplina, classificado (fica em cadastro de reserva); o passo seguinte será a aprovação dentro das vagas!

Se um ou mais itens são verdadeiros para você, tenha calma! É que o projeto é grandioso mesmo e requer algum tempo para se alcançar o objetivo.

Se você ficar inseguro porque nada disso está acontecendo, volte e leia a postagem Jogo dos 7 erros, para detectar o que pode ser melhorado.

E, independentemente do resultado desta avaliação, siga adiante, porque a vaga está à sua espera, mas você precisa caminhar até ela!

caminhando

____________________________________________________________________________

Links

● Facebook

● Twitter: @liasalgado_

● Coluna da semana no G1: “Veja dicas de concursos por nível de formação e área de atuação”

● Dicas para concurso em áudio para o “Painel da Manhã” da rádio Roquette Pinto 

qua 05 jun/2013