Teste de Esforço

0000137Quando se fala em teste de esforço (TE), concurseiro da área de segurança pública ou militar logo associa ao teste ergométrico, pois as bancas exigem que todos passem por esta avaliação para aferir como anda o funcionamento do coração, da pressão arterial e diagnosticar doenças cardiovasculares.

Entretanto, o teste de esforço ao qual me refiro é o de campo, mais precisamente o teste de Cooper, popularmente mencionado como teste de 12 minutos, cujo objetivo é aferir o condicionamento físico do praticante por meio de uma corrida e/ou caminhada no maior percurso que conseguir em um período de tempo de 12 minutos. Desta forma, com o resultado em mãos, o profissional de educação física interpretará os dados e com auxilio de uma tabela estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), conforme exposta abaixo, o candidato é classificando como: “Ótimo”, “Bom”, “Regular”, “Ruim” e “Péssimo”, com base na distância percorrida, idade e sexo.

Vale ressaltar que este teste trabalha no submáximo do avaliado, pois dependerá muito da disposição/motivação do avaliado e o resultado é uma estimativa, levando em consideração que trabalhamos com grupos muito heterogêneos (praticante de atividade física, sedentário, fumante, não fumante, homens, mulheres, jovens, idosos, entre outros).

Teste de Cooper

Tabela_01_Elon

Teste de Cooper (Atletas com Experiência)

Tabela_02_Elon

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Teste_de_Cooper

O teste de esforço lembra a você algum teste físico cobrado em concursos? Isso mesmo. Todos os testes de corrida de resistência são um teste de Cooper.

Além desta avaliação, aproveite para ler o seu edital e veja outros testes que são cobrados, como: barra (flexão de cotovelo na barra fixa), flexão (flexão de cotovelo sobre o solo), abdominal etc. Identificando-os, faça um simulado para aferir seus índices e registre todos em uma planilha para uma futura comparação de ganho de performance.

Outro teste que indico é o de 400 metros: corra esta distância o mais rápido possível e registre o tempo.

Vale ressaltar que é de extrema importância o acompanhamento de um professor de educação física especializado em preparação física para concursos, para intervir caso sinta falta de ar, dores no peito, fadiga muscular, tonturas, náuseas, sensação de desmaio, etc.

Com todos estes dados em mãos, teremos parâmetros suficientes para publicar uma variedade de treinamento, na qual você conseguirá acompanhar facilmente a rotina de treinos que publicarei futuramente aqui.

Por último, ter uma vestimenta e equipamento adequado potencializará o aumento de performance e lhe proporcionará mais segurança nos treinos, diminuindo assim a probabilidade de lesões. Usar um tênis com um bom sistema de amortecimento, roupas (short e camisa) com tecidos leves e de cor clara, relógio com cronômetro ou frequencímetro (aferir batimentos cardíacos), protetor solar e boné (quando o treinamento for diurno) são recomendados.

Agora, programe-se, convide um amigo ou ente querido para motivá-lo a executar os testes e siga-nos por aqui, pois em breve teremos a primeira planilha de treinamento rumo à sua aprovação no teste de aptidão física – TAF.

Forte abraço, bons estudos e bons treinos.

Sem-Título-2

Elon Junior é subtenente do CBMERJ, Coach Físico para Concursos, palestrante e autor do livro “Preparação Física para Concursos” – www.efisica.com.br

seg 07 out/2013