Filhos Pequenos

Uma das coisas mais dolorosas do meu tempo de estudo era ter de ficar ausente da vida dos meus filhos.

No terceiro ano da minha maratona – depois de três reprovações e uma desistência – percebi que precisava fazer algo realmente diferente se queria ser aprovada. Foi aí que descobri as bibliotecas e quanto o tempo de estudo rendia mais do que em casa. Essa foi a parte boa da história. A ruim é que eu saía de casa às 8 horas da manhã e passava o dia todo na biblioteca. Saía de lá quando fechava, já de noite, ou às 5 horas da tarde, direto para o curso, nos dias em que havia aula e matérias específicas para o ISS. Retornava perto de 11 horas.

Com isso, só via as crianças pela manhã, antes de irem para a escola, e depois no outro dia, pela manhã, porque quando chegava elas estavam dormindo. Era muito ruim para todos nós, mas penso que foi o menorzinho quem mais sofreu. Ele era muito pequeno e ficava difícil explicar por que eu “desaparecia” de casa. Ele se agarrava às minhas pernas e chorava, pedindo para eu não ir para a “minha escola”. Perguntava se quando ele chegasse em casa da escola, eu estaria ali. E eu tinha que dizer que não estaria, que precisava estudar porque um dia ia “escrever umas coisas” (não havia como explicar o que era uma prova) e depois a gente ia ganhar muito dinheiro, eu ia comprar brinquedos, passear com ele, comer em restaurantes.

E ele ia para a escola e eu, para a biblioteca, com o coração despedaçado.

No fim da tarde, eram os irmãos mais velhos que cuidavam dos menores, davam jantar e os colocavam pra dormir. Muitas vezes ligavam pra mim, porque o caçula estava chorando…

Trecho retirado do meu livroComo Vencer a maratona dos Concursos Públicos 

filhos_pequenos

_____________________________________________________________________

Links

● Facebook

● Twitter: @liasalgado_

● Coluna da semana no G1: ”Veja como lidar com a ansiedade antes e durante a prova”

● Livro – Como Vencer a Maratona dos Concursos Públicos – à venda na Saraiva

_

 

qui 25 fev/2016

Existem oportunidades mesmo com a suspensão de 2016

009_Lia_Salgado_G1_23-02-2016

O anúncio do contingenciamento de 23,4 bilhões proposto pelo governo vem reforçar a notícia do ano passado, de suspensão de novas autorizações de concurso em 2016.

O fato é que caminhamos para o fim do primeiro bimestre e as notícias não melhoraram muito para quem está buscando emprego. No mercado privado, há 9 milhões de desempregados. Sobre os concursos públicos federais paira a sombra da suspensão de novas autorizações.

Mas esse é apenas um ponto de vista e depende de qual lado você pretende ficar. Há 9 milhões de desempregados, mas há muito mais milhões de pessoas empregadas. Há empresas fechando, mas a todo momento nos deparamos com iniciativas inovadoras que estão surpreendendo o mercado.

Confira a matéria clicando aqui

_

ter 23 fev/2016

Pulando o dia de estudo

Existe aquele dia em que você acorda todo compenetrado, decidido a ter um dia produtivo de estudo. Arruma-se, toma café e senta-se para estudar (ou vai para a biblioteca). Pega a ficha da programação, vê a matéria, abre livros e cadernos sobre a mesa e começa a ler. De repente, você percebe que já passou três páginas e não se lembra de nada, nem sequer do assunto. Resolve voltar. Lê em voz alta. Sente-se um papagaio idiota. O pensamento está longe. Começa a lembrar-se das tarefas e outras providências pendentes. O que fazer?

Depende. Tente todas as alternativas que conhece: lavar o rosto, café, comer algo. Tente alterar a programação e fazer exercícios, em vez de ler. Se continuar desconcentrado, relaxe. Escreva uma lista das coisas que tem pra fazer. Às vezes, isso afasta os “ruídos” da mente e você pode voltar a estudar. Mas, se nada disso funcionar, ou existir algo concreto tirando sua concentração, talvez seja melhor resolver as pendências, mesmo usando o tempo de estudo. Ou sai para dar uma caminhada, espairecer mesmo. Procure não se culpar. Volte, tome um banho (para mim, pelo menos, é ótimo) e reinicie. Ou não. Há dias em que, simplesmente, não dá. O estudo não rende de jeito algum. Então “pule” esse dia.

Só tenha cuidado para que isso não seja uma constante. Se estiver ocorrendo sempre, você precisa tomar uma providência: procure rever seus passos e verifique o que pode estar faltando para o seu bem-estar. Porque senão os dias passam, o concurso chega e você não estará preparado.

Trecho retirado do meu livroComo Vencer a maratona dos Concursos Públicos 

pulando_o_dia

____________________________________________________________________

Links

● Facebook

● Twitter: @liasalgado_

● Coluna da semana no G1: ”Veja como lidar com a ansiedade antes e durante a prova”

● Livro – Como Vencer a Maratona dos Concursos Públicos – à venda na Saraiva

_

qui 18 fev/2016

Veja como lidar com a ansiedade antes e durante a prova

009_Lia_Salgado_G1_-16-02-2016Ser concurseiro é investir em algo que ainda não está visível, abrir mão de coisas agora em nome de um futuro melhor.

E dá medo. De vez em quando a gente se pergunta: será que eu não estou maluca? Estou sem dinheiro e gastando com material de estudo. Ou sem dinheiro e só estudando, sem procurar emprego. E se as coisas não derem certo no final? E se eu não passar?

Acho que quase todo mundo passa por isso. Mas se a decisão foi tomada, o importante é seguir em frente e qualificar cada vez mais a preparação. Só não é aprovado quem desiste.

E, para lidar com a pressão que às vezes beira o insuportável, é importante ter alguns cuidados.

Construir uma rotina equilibrada para reduzir o estresse, com sono, alimentação e atividade física.

Confira a matéria e assista ao vídeo clicando aqui

_

ter 16 fev/2016

Direito e exatas não devem ser encarados como ‘vilões’ nos concursos

009_Lia_Salgado_G1_02-02-2015Na coluna de vídeo desta semana, a especialista Lia Salgado fala sobre as dificuldades que candidatos a concurso encontram na hora de estudar matérias de direito e de exatas.

Segundo Lia, tanto as matérias de direito quanto as que envolvem matemática são básicas para a maior parte dos concursos. Então, não há como escapar. Escolher concursos que não tenham um ou outro tipo de matéria seria se render às pedras do caminho e reduzir muito as oportunidades.

Confira a matéria e assista ao vídeo clicando aqui

_

ter 02 fev/2016